terça-feira, 14 de setembro de 2010

Obrigatoriedade do voto, sim ou não.

Hoje, navegando pela internet me deparei com algumas pessoas debatendo sobre a obrigatoriedade do voto. E, como estamos em tempos de eleições, esse assunto se coloca como tema de extrema importância para ser discutido.
Sabe-se que a palavra "voto" vem do latim e se refere à "vontade". Sabe-se também que através dele, escolhemos alguém para nos representar e decidir em nome do social visando o bem comum.
Em um país democrático, o voto é a ferramenta pela qual o desejo das pessoas é exposto, e sua obrigatóriedade garante que a maior parcela da população compareça às eleições e manifeste seu desejo. Garante também que cada indivíduo exerça seu direito e seja reconhecido como cidadão.
Infelizmente o que se observa a respeito do comportamento humano, é que a grande maioria não dá a devida importância ao ato e permanece na extrema alienação sob quem governa ou representa o seus direitos, fato mais frequente em países de baixa educação e baixo poder aquisitivo.
Votar é um ato legítimo, merece ser respeitado, e todos deveriam dar a devida importância. Quando isso não aconte, a obrigatoriedade vem como forma compulsória de tal.
Portanto, o Brasil não é ainda um país o qual a população já esteja preparada para uma realidade tão permissiva como a dos votos facultativos. Os níveis de desigualdade social, baixo acesso à informação, desinteresse político, e corrupção, estão em níveis altíssimos e com certeza comprometeriam mais ainda a situação eleitoral nacional.

Nenhum comentário: