sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011


Como se te perdesse, assim te quero.
Como se não te visse (favas douradas
Sob um amarelo) assim te apreendo brusco
Inamovível, e te respiro inteiro.
(...)

Hilda Hilst

4 comentários:

Marcelo R. Rezende disse...

Isso que é vontade.

Beijo.

Rafaelle Melo. disse...

Que coisa linda...
Tão poucas frases e algo tão pronfundo !

Gosto disso!

Estou te seguindo!


Beijo.

Paulo Arthur Coelho disse...

Adorei! Nunca tinha lido este. Mas o meu favorito dela é:

"Toma-me. A tua boca de linho sobre a minha boca

Austera. Toma-me AGORA. ANTES

Antes que a carnadura se desfaça em sangue, antes

Da morte, amor, da minha morte, toma-me

Crava tua mão, respira meu sopro, deglute

Em cadência minha escura agonia."

Tales B. disse...

Doido!